sábado, 8 de abril de 2017

SECRETÁRIO EXECUTIVO DO CONSÓRCIO TAPAJÓS ACREDITA QUE PROPOSTAS DE EMENDAS A MP 756 VÃO EVITAR SEQUELAS SOCIAIS E ECONÕMICAS PARA NOVO PROGRESSO E REGIÃO.



vice prefeito e demais membros da comissão que apoiam Nery dos Prazeres
A comissão técnica de trabalho que vem intensificando ações para que a Medida Provisória 756 não seja aprovada no seu formato original proposto pelo governo federal sob pena de inviabilizar economicamente Novo Progresso e a Região.   

 O presidente do Consórcio Tapajós, empresário Neri Alves dos Prazeres esteve  essa semana novamente em Brasília para com os demais componentes de a comissão acompanhar os trâmites da MP que foi apresentada e lida pelo relator Dep. José Priante neste dia 4 de Abril em plenária da comissão. 
Nery dos Prazeres,diretor do Consórcio Tapajós

  No dia 11 a MP 756 será votada dentro da comissão. Após isso a MP será votada pela Câmara federal, depois senado e por ultima passará pela sanção do presidente Temer.
Dentro do plano de trabalho houve três audiências em Brasília no Congresso nacional já que pelo regimento legal essa MP não pode realizar audiências públicas no local de origem aonde será aplicada a MP 756, no caso Município de Novo Progresso.   A comissão pode vir na região na condição de convidada já que uma audiência local não teria oficialmente validade para efeito de ata ou qualquer outro documento.
 
Zé Priante relator tem sido incansável na defesa dos interesses da região.
 Segundo o presidente do Consórcio após passar pelas etapas da Comissão que tem o deputado federal José Priante como relator.

  A comissão técnica especial de trabalhos que vem acompanhando passo a passo os trâmites da MP é composta por Neri Alves dos Prazeres (Consórcio Tapajós), vereador Marlone (Câmara de Vereadores de Novo Progresso) Associação Vale da Garça (Neucy Preta), Mônica da Gleba Embaúba, Vice-prefeito de Novo Progresso e Vilson João Schuber (FAEPA)

Apesar da complexidade técnica da MP 756, a Comissão Técnica especial de Trabalhos obteve conquistas e avanços significativos conseguindo criar sete emendas com propostas que flexibilize e não provoque caos econômico nem social em Novo Progresso e região.  As emendas foram frutos de sucessivas reuniões com técnicos do IBAMA e ICMBIO no período que antecedeu dia 6 de Março deste ano, ultimo prazo para apresentação de propostas a MP do governo federal.  

 Para Nery a grande estratégia da comissão foi aprovar propostas de emendas mais fáceis possíveis, elas foram entregues para deputados federais das bancadas de Mato Grosso e Pará, entre eles Jader Barbalho, José Priante, Júlia Marinho etc...

Neri dos Prazeres que também é empreendedor em Novo Progresso disse que pelo trabalho que vem sendo feito pela comissão e pelo apoio dos deputados federais do Pará e Mato Grosso, está muito otimista que a MP 756 não traga prejuízos para a economia da região e que seja aprovada levando em conta as propostas de emendas apresentadas pela comissão com apoio dos deputados federais comprometidos com a causa.

O empresário evoca o ano de 2006 como o inicio do calvário dos que vivem em Novo Progresso e adjacências,  quando foi criada a Flona Jamanxim que deixou praticamente a região toda engessada haja vista que 80% de toda área territorial do munícipio tenha ficando dentro da reserva ambiental, medida essa para atender uma exigência ambiental do asfaltamento da Rodovia BR 163. Desde então até os dias de hoje são onze anos que vem sendo travada uma luta ferrenha pela redução da Flona dentro dos padrões de razoabilidade que não inviabilize as atividades econômicas do Município. 

 O secretario executivo do Consórcio Tapajós inclusive cita como uma reprise dessa luta a criação de APAs dentro de áreas brancas.  Com a divisão da Flona para também atender o projeto de construção da ferrovia ferrogrão, Nery acredita que Itaituba também vai sofrer a exemplo de Novo Progresso grandes impactos econômicos.  

 Reitera que a mesma comissão que vem brigando pelos interesses de Novo progresso na MP 756, também vem defendendo flexibilização da MP 758 que tem como relator. O deputado federal José Reinaldo, do estado do Maranhão e que também se comprometeu em avaliar todas as emendas (que são mistas) atendendo aos interesses das duas regiões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário