terça-feira, 4 de abril de 2017

Relator da MP 756 Deputado Priante aposta num consenso sobre alterações nos limites da Floresta Nacional do Jamanxim

Priante profundo conhecedor dos problemas de nossa região

O deputado José Priante foi eleito relator da Comissão Mista do Congresso Nacional, que analisará a Medida Provisória ( MP) 756 que trata da alteração dos limites da Floresta Nacional do Jamanxim, em Novo Progresso, na região sudoeste do Pará. Essa MP foi editada no final de 2016 e depende de aprovação da Comissão para que tenha força de lei e vigore em definitivo. 

Mas há um grande embate entre os órgãos de proteção ambiental e a população local, que reivindica que as áreas sejam remanejadas de uma forma diferente da proposta pela MP. Como relator o deputado Priante trabalhará para que haja um consenso entre o Governo Federal, os órgãos de proteção ambiental e a população afetada na região. “ Vamos fazer um amplo debate, as pessoas que vivem, trabalham e tem propriedades no local precisam ser ouvidas”, destacou o parlamentar.

 Com a edição da Medida já foram retirados mais de 300 mil hectares da Floresta do Jamanxim, que passou a ser Área de Proteção Ambiental (APA). Outros 230 mil hectares foram retirados de uma área de expansão produtiva da região, conhecida como “área branca”. Essa mudança inviabilizou a atividade dos produtores rurais da região, deixando muitas famílias com restrições à produção. 

 A alteração que tem causado mais desentendimentos é a ampliação do Parque Nacional do Rio Novo, pois nesse caso parte da Floresta, que por lei pode ser utilizada para o manejo, passa a ser toda Parque, restringindo assim o acesso da população à APA dos Tapajós, onde tem uma reserva garimpeira, que é a base da economia local. Segundo o vice-prefeito de Novo Progresso, Gelson Dill, caso essa Medida não seja alterada os prejuízos para a região serão incontáveis. “ Corremos o risco de deixar 10 mil trabalhadores desempregados, perderemos investidores e consequentemente veremos o aumento da violência e a evasão escolar”, afirmou Gelson. 

 De acordo com a secretária da associação dos produtores rurais Vale Do Garça, de Novo Progresso, Edivâna Morona, essa luta para remanejamento das áreas é uma luta antiga, que começou a ganhar destaque em 2006 e com a edição da MP tomou proporção bem maior. “ A nossa batalha é para que o município de Novo Progresso não se torne inviabilizado, hoje temos apenas 4% de área produtiva”, disse a secretária. --

ESPECIAL   Por Cristiane Campos Assessora de Imprensa Deputado Jose Priante- PMDB/PA Telefone: (61) 9805-7898

Nenhum comentário:

Postar um comentário