sábado, 21 de janeiro de 2017

Nélio Aguiar: “Governo de Von deixou dívida de R$ 96 milhões” Prefeito Nélio Aguiar diz que vai priorizar renegociação de dívida deixada pelo governo do ex-prefeito Alexandre Von.

Em pronunciamento feito na manhã de segunda-feira (16), na tribuna da Câmara Municipal, durante a abertura dos trabalhos legislativos de 2017, o prefeito de Santarém Nélio Aguiar, ressaltou que vai priorizar a renegociação da dívida de aproximadamente R$ 96 milhões, deixada pelo governo passado. 

O gestor municipal afirmou estar preocupado com penalidades decorrentes dessa dívida. “Estamos impossibilitados de realizar qualquer convênio com o governo do Estado e com o governo Federal.

 Estamos priorizando a renegociação desse débito, o parcelamento dessa dívida para que a gente possa sair do caos”, declarou o Prefeito. Durante o discurso, Nélio Aguiar reafirmou o compromisso com a população santarena assumido em campanha e destacou algumas prioridades de governo. Uma delas é o corte de gastos. “A curto prazo, a única saída cabível é a adequação dos gastos com o Município à realidade atual, com o máximo possível de redução de despesas com pessoal, com aluguéis de veículos e de imóveis e com a diminuição de investimentos que demandem somente recursos próprios, que não sejam considerados prioritários”, ressaltou.

 RELATÓRIO FINAL SOBRE RESTOS A PAGAR: 

“Essas informações ainda são parciais, pois até o presente momento ainda não foi repassado à nossa equipe de transição o relatório final, inclusive descumprindo a Instrução Normativa do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) cujo prazo final foi dia 05 de janeiro. Já encaminhamos uma solicitação para que seja entregue esse relatório, bem como informamos que nós estaremos mandando uma notificação ao TCM devido ao descumprimento da Instrução Normativa de Transição. São os dados mais importantes para tomarmos decisão, da situação financeira do Município e até hoje não foram repassados de forma clara e concisa. O que temos em mãos são dados colhidos de algumas secretarias. O que queremos é que esses dados sejam repassados de forma oficial, em forma de relatório, como prevê a Instrução Normativa”, informou Nélio Aguiar. 

Esse atraso nas informações do relatório final, do que realmente está inscrito em resto a pagar, o que realmente a Prefeitura deve, pra quem deve, tem prejudicado nosso início de governo. Por exemplo, temos uma empresa de asfalto que não está fornecendo esse material para nós, pois tem dívida do governo passado. 

Nós não podemos pagar dívida do governo passado se não chegar de maneira oficial. Com isso acaba atrasando o fornecimento de alguns materiais, como o asfalto, pois precisamos realizar a operação tapa buraco, já que o inverno começou. Isso fez com que eu tomasse a decisão de comprar o asfalto à vista”, declarou o Prefeito.

 DIREÇÃO DO HOSPITAL MUNICIPAL DE SANTARÉM:

 Esta semana o fato que mais chamou atenção foi a saída da médica Ilmara Mudi da direção do Hospital Municipal de Santarém, cargo que havia assumido recentemente. “Em relação ao Hospital Municipal de Santarém, a Dra. Ilmara Mudi foi convidada a assumir a direção interinamente, uma vez que é médica concursada do Município, coordena o Samu e faz parte da auditoria. Ela estava acumulando várias funções e teve que voltar ao Samu, onde estamos tendo problemas, com dificuldades de ambulâncias, onde temos duas delas quebradas e só uma em atividade, sendo que precisamos dar uma atenção maior ao Samu. Houve também questões de ordens administrativas do Hospital, entre a direção e o enfermeiro Josiel, onde foi preciso o Secretário tomar a decisão de retornar a Dra. Ilmara à coordenação do Samu e transferiu o enfermeiro Josiel para a UPA 24 Horas. 

A direção do Hospital continua na interinidade, pois estamos esperando uma decisão de uma outra pessoa que posteriormente será anunciado seu nome. Por enquanto a administradora hospitalar, Carla, vai ficar interinamente na direção do Hospital Municipal”, finalizou Nélio Aguiar. 

INADIMPLÊNCIA IMPEDE O MUNICÍPIO DE FIRMAR CONVÊNIOS:

 O vereador Alysson Pontes (PSD) disse que o problema compromete o andamento da nova administração municipal. “Hoje o Município não consegue receber convênios devido estar devendo INSS e débitos de outras naturezas, tendo em vista uma gestão [de Alexandre Von (PSDB)] displicente”, disse Alysson Pontes. O Vereador destacou, ainda, que é preciso vencer essa barreira das dívidas para se conseguir implantar um governo eficiente. “Esse será um desafio a ser ultrapassado com uma gestão pública de qualidade; austera, para que nós possamos por meio de políticas públicas eficientes, contabilidade justa, uma política tributária que possa desenvolver o Município, podendo sanar esses débitos”, informou. Alysson Pontes apontou, ainda, que, além de quitar as dívidas, o caminho para o Executivo trabalhar neste momento de crise econômica que o País enfrenta seria firmar alianças com os governos estadual e federal, para que recursos ingressem no orçamento do Município e se possa fazer políticas públicas de qualidade.

 GRANDE DESAFIO

Segundo o vereador Henderson Pinto (DEM), a crise econômica não é o único problema enfrentado pela nova gestão municipal. “O prefeito Nélio recebe a Prefeitura com grande desafio, além da crise enfrentada, há também um débito de quase cem milhões de reais. Parte desse débito com mais de trinta milhões em caixa, mas quase sessenta milhões com recursos que ainda não adentraram. São dados que ainda não foram fechados e podem aumentar”, cita. O Vereador apontou o que seria a maneira de a administração agir diante das dificuldades. “Fazer uma parceria, mostrando transparência, austeridade e, sobretudo, vontade de trabalhar, usando o recurso que se tem em benefício da população com obras e serviços”.

 Henderson Pinto observou, ainda, que o prefeito Nélio Aguiar tem se aproximado da população. “Foi feita uma garantia [pela gestão] que o plano a ser efetivado em Santarém irá contar com a participação popular”, sustenta. “Sabemos dos desafios, mas não podemos esperar que essa crise seja justificativa para que a gente não avance”, finalizou Henderson Pinto.

 Por: Jefferson Miranda Fonte: RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário