sábado, 5 de novembro de 2016

PEC do Teto não deve congelar gastos PROPOSTA - Secretário da Fazenda negou estabilidade de contas em 20 anos ________________________________________

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, negou ontem que a PEC do Teto vá congelar o aumento real dos gastos por até 20 anos. Ele apontou que, a partir do décimo ano, existe a possibilidade de o presidente da República mudar o critério de correção das despesas, tornando o teto muito mais flexível.

 A declaração foi dada após evento que debateu os efeitos da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nos gastos com saúde. "Pode mudar tudo a partir do décimo ano. Se o presidente estabelecer, por exemplo, que as despesas podem crescer 6% acima da inflação, como ocorreu nos últimos 20 anos, a gente volta ao que era antes. Não vai ter crescimento real zero por 20 anos, como dizem alguns. O novo presidente pode ter uma regra mais flexível", afirmou Mansueto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário