quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Pesquisa traça perfil da educação no Pará GEPERUAZ: Leis preveem direitos, mas não asseguram sua efetivação na realidade do Estado ________________________________________

Salomão Hage (esq.): pesquisa sobre os povos ribeirinhos; e Sérgio Moraes: palestra sobre saberes tradicionais. Há um ano, cerca de 30 pesquisadores do Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação do Campo na Amazônia (Geperuaz), do Instituto de Ciências da Educação (Iced), da Universidade Federal do Pará (UFPA), desenvolvem a pesquisa “Territorialidades Amazônicas e suas implicações para afirmação da escola pública”. 

Levantamento quantitativo feito pelo grupo nos 144 municípios do Pará identificou que vários direitos previstos em leis não são assegurados às populações. Em termos qualitativos, o foco da pesquisa é identificar essa situação na diversidade quilombola, ribeirinha, indígena, extrativista e de assentados, e com apoio da sociedade e órgãos competentes fazer com que os direitos sejam garantidos.

 “O levantamento, que faz parte do estudo qualitativo da pesquisa, ocorre a partir do Censo Escolar, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. A partir das legislações na área da educação, verificamos quais direitos são efetivados na medida em que estão assegurados. Só para se ter uma ideia do problema, a Constituição Federal assegura que toda criança, de 4 a 17 anos, deve estar na escola cobrindo da pré-escola ao ensino médio. Mas os índices de atendimentos na pré-escola estão em cerca de 50% e no ensino médio não atingem 10% no Pará.

 Existe meta no Plano Nacional de Educação de atendimento dessa demanda. Então, isso tudo vamos cobrar no estudo”, afirma Salomão Hage, professor do Iced/UFPA, que faz parte do grupo. A pesquisa levará em conta também teses e dissertações produzidas sobre os conhecimentos, as experiências e os processos educativos desses sujeitos.

 “Para conseguir garantir esses direitos, de fato, apostamos na mobilização da sociedade”, destaca Hage. O Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação do Campo na Amazônia estuda e pesquisa a educação do campo na Amazônia e, nos últimos dois anos, investiga os povos tradicionais, a relação que eles estabelecem com seus territórios e o papel dos processos educativos. 

 O Liberal Digital! ________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário