sábado, 9 de julho de 2016

MPF articula proteção aos munduruku RETIRADA - Recomendação toma por base carta entregue pelos indígenas em junho

MUndurukus brigam pelo direito a terra
A procuradora da República, do Ministério Público Federal (MPF), para demandas em Itaituba, no oeste paraense, Janaína Andrade de Sousa, informou na manhã de ontem que emitiu a recomendação número 18, observando para órgãos como Funai, Ibama, ICMBio, Polícia Federal e Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), entre outros, a necessidade da contínua articulação desses órgãos em defesa das terras índigenas, mas especificamente das aldeias dos Munduruku, na região do município de Jacareacanga e áreas adjacentes. 
FOTO NAZARENO SANTOS

Uma ação de educação está prevista para acontecer em breve no território. Em carta entregue à procuradora em 24 de junho passado, os Munduruku denunciam e apelam pela retirada de suas terras de garimpeiros, palmiteiros, madeireiros, pecuaristas, produtores de soja e responsáveis por construções de barragens.

LIDERANÇA INDIGENA ALEXANDRA kORAP
 “O problema é muito complexo. Para se ter uma ideia, o garimpo, ainda que ilegal por não possuir licença ambiental nem autorização do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), é uma atividade econômica importante para a região e existe desde a década de 50’’, observou Janaína Sousa, acrescentando que o MPF tem tomado diversas iniciativas de acordo com o contexto de cada segmento na região. 

Ela informou, por exemplo, que recebeu as lideranças do Povo Munduruku em audiência no dia 24 de junho passado e desde então tem intensificado a articulação da rede de órgãos que trabalham com a questão indígena. 

O LIberal ORM

Nenhum comentário:

Postar um comentário