quarta-feira, 16 de março de 2016

SINTEP PROMOVE ATO PÚBLICO CONTRA GESTÃO DE ELIENE NUNES E PROTESTA EM SESSÃO DA CÃMARA

professores revoltados com prefeita
A principio a negociação deveria ter sido com a presença de todos os Sindicatos que reivindicam melhorias salariais. Mas a prefeita Eliene Nunes preferiu negociar somente com os representantes das categorias dos profissionais de Saúde, Sinserm e sindicato dos enfermeiros. O percentual que estava na mesa das negociações era a proposta de três por cento de reajuste, mas depois de várias argumentações a prefeita cedeu e concordou em aumentar de três para 5%, o que foi aceito pelo Sindisaude, Sinserm e categoria dos enfermeiros.


 A prefeita justifica o encontro com os três sindicatos explicando que a Secretaria de educação Uzalda de |Miranda é quem estava na negociação com os professores. O SINTEPP por sua vez alega que a prefeita excluiu a categoria das negociações, demonstrando má vontade e radicalismo contra os profissionais da educação.

Em protesto pelo que consideram falta de respeito e indiferença por parte da prefeita o SINTEEP promoveu na manhã desta quarta feira dia 16, um ato púbico pelas ruas da cidade com concentração na sede do Sindicato. Com faixas, cartazes e palavras de som, embora embaixo de uma chuva intensa os professores (as) estiveram no ato público, quando entraram no plenário da Câmara (que estava em sessão) cobrando apoio dos vereadores com criticas mais direcionados aos dois vereadores representantes da categoria Isaac Dias e Célia Martins. 


Os professores pediram dez minutos na tribuna e fizeram uma explanação sobre o atual momento da educação. O sindicalista Celso Noronha falou em nome dos professores afirmando que a prefeita está agindo sem transparência já que o município vem tendo boa arrecadação e que por isso a teoria não abre mão do percentual de 15% para efeito de negociações, Celso enfatizou que o salário dos profissionais de educação estão defasados e que o Sintepp tem sua própria autonomia não dependendo de negociações paralelas feitas com outras categorias.

 Os professores presentes no ato público criticaram os vereadores estariam sendo omissos e coniventes com a prefeita Eliene Nunes. Em defesa da Câmara Issac Dias disse que o Sintepp tem mil e trezentos associados e no movimento tinha pouca presença de educadores. Disse que a Câmara não tem poderes para determinar aumento do executivo, mas ele considera pequeno o reajuste de 5%.

 O líder de governo também criticou o manifestos do SINTEPP alegando que o município está como em todas as cidades do pais enfrentando dificuldades financeiras. 

Célia Martins recriminou e criticou a ocupação do plenário por parte dos educadores por considerar que eles deveriam buscar o consenso e dialogo com o executivo . reiterou que o SNTEPP também foi convidado para entrar em negociação com os outros sindicatos mas recusou e preferiu fazer seu movimento a parte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário