terça-feira, 15 de dezembro de 2015

PARABÉNS ITAITUBA PELOS TEUS 159 ANOS: ITA, NOSSA CIDADE PEPITA DO TAPAJÓS

O município de Itaituba está localizado na porção sudoeste do Pará região conhecida como zona fisiografica do rio tapajós se limitando ao norte com município de Aveiro, ao sul com os municípios de Novo Progresso e Jacareacanga, a leste com os municípios Altamira, Ruropólis e Trairão, a Oeste, com o estado do Amazonas. 
Abertura da Tranzamazõnica

município ocupa uma área no total de 52.565 km2, com aproximadamente 96% de suas terras banhadas pelas bacias do Rio Tapajós e o restante pela bacia do Rio Amaná. 1. 

OS CATEQUISTAS JESUITAS FUNDAM ALDEAMENTO NA FOZ DO RIO TAPAJOS -  
 
Paço Municipal antes de virar ruínas
Em seguida chegaram os catequistas, representados pelos jesuítas, que fundaram vários aldeamentos. Nessa época, o senhor Francisco da Costa Falcão iniciou a construção de um forte, na foz do rio tapajós.
em um dos vários encontros com Tibiriça Cunha pesquisando para meus livros

 Esses aldeamentos se mobilizaram não só pelo desenvolvimento como pelo progresso destacando-se como grandes centros produtores, nos
trator que cuidava de nossas ruas na ´época
anos de 1742 e 1747. Dois aventureiros, Leonardo de Oliveira, e João de Souza Azevedo, em busca de riquezas minerais (ouro, diamante, etc...) desceram o rio Tapajós, partindo do planalto central, a partir de 1754, já na administração do general Francisco Aguiar de Mendonça Furtado, iniciou-se o processo de afastamento dos jesuítas da direção das aldeias por eles fundadas. 
 
Itaituba recebendo um presidenciável.militar. Ernesto Geisel
 DO TUPI GUARANI 
 A cidade de Itaituba, sede do município, que na língua tupi guarani quer dizer muitas pedras miúdas,  localiza-se as margens do rio tapajós com distância em linha reta de 891 km de capital. Itaituba antes de ter sido desmembrado de Jacareacanga, Novo Progresso e Trairão, já foi considerado o maior município do Brasil e do mundo com área de 165. 578 km2 tendo perdido os respectivos territórios no ano de 1993. 
carro coqueluche  da época

Com a emancipação territorial política, Itaituba mesmo com os 62.041 km, ainda é considerado um dos maiores do Brasil e também se destaca entre os 143 municípios paraenses. De acordo com o censo do IBGE (nova recontagem 2007) a população de Itaituba era oficialmente de 127.330 (cento e vinte e sete mil e três habitantes) com esse número caindo para 97. 343 habitantes.  (Censo 2010)  Obs. Amostra do Censo Demográfico 2000, de acordo com a divisão territorial vigente em 01.01.2001.

 INDIOS MUNDURUCUS BATIZAM A CIDADE COM NOME DE ITAITUBA.
 
primeira caçamba,que originou o nome do dono, ex vereador  Chico Caçamba
 No passado a escolha dos nomes das localidades, rios serras e outros em aspectos visuais eram relacionados às paisagens, os nomes geralmente eram escolhidos em meio a importante ritual dos índios Mundurucus. 
 
primeira indústria de Café,Rei da selva
A escolha se dava em meio a uma Assembléia. Era onde os graduados das tribos se reuniam, discutiam as propostas e decidiam os nomes que na ocasião recebiam a sanção solene. E foi assim que foi dado o nome Itaituba para esta região. 
E vereador Alexandre Primo era o dono

Na assembleia o que mais contribuiu para a escolha desse nome é que em frente à cidade, principalmente á margem esquerda do Rio Tapajós, existiam muitas pedras pequenas, branquinhas conhecidas como seixo. Mas em tupi guarani Itaituba tem o seguinte significado. Ita - pedra I- Pequena TUBA-Abundância. ou seja, pedras pequenas em grande quantidade 
 
José Pinheiro um dos descobridores de ouro em 1958
 A ORIGEM ESTA LIGADA A CONQUISTA PELOS PORTUGUESES, DO RIO TAPAJOS.

 A origem da cidade esta ligada à conquista pelos portugueses, do rio Tapajós. Essa conquista foi motivada pela necessidade, dos portugueses defenderem o rio amazonas dos invasores estrangeiros, que tentaram conquistar o estuário amazônico.

 Para repelir a ação dos tais invasores foram organizadas varias expedições, pelo governo português (que havia criado uma estrutura administrativa para a Amazônia, e o Pará e uma capitania governada por capitães – mores , subordinados diretamente ao governo português).
ossada da preguiça gigante encontrada em Itaituba

 Para combater tais invasões, foram organizadas varias expedições pelo governo português dentre as quais uma, comandada por Francisco Caldeira Castelo Branco, fundador em 1616, do que hoje é Belém, capital do Pará. 
 
já teve um dos aeroportos mais movimentados do mundo no auge do ouro

Partindo dessa grande fortificação portuguesa, outras expedições foram organizadas para expulsar os invasores, que tinham se deslocado para o interior do rio amazonas.
padre rezando pelo corpo de Cazuza na rebelião de Haroldo Veloso

 PEDRO TEIXEIRA VEIO PRA ITAITUBA - Para o município de Itaituba,  a expedição mas importante foi comandada pelo capitão Pedro Teixeira , que em 1626, pela primeira vez atingiu o Rio Tapajós. Ele chegou no mesmo local hoje conhecido como alter do chão , onde manteve o primeiro contato tendo sido fundada a vila de Santarém: em 1758, foram elevados as categorias de vila, as localidades de Boari e Arapiuns, com os nomes de Alter do Chão do e vila franca respectivamente.
seu Joaquim Venâncio, personagem histórico da borracha.

 No ano de 1758, ocorreu o mesmo com as localidades de São Inácio e São José que receberam os nomes de Bom e Pinhel. No governo de Mendonça Furtado (governador da província) todo o Vale do Tapajós ficou sob o domínio da província do Grão Pará. 




prefeito Sílvio Macedo com Sandra Bréa, uma atriz global famosa

Em seguida, em 1781, José de Nápoles Telo de Menezes, fundou o lugar denominado Aveiro, no qual foi criado a freguesia de Nossa Senhora da Conceição. Já em 1977, foram criados os povoados de ori e uxituba e, por ordem do governo do Grão Pará, uma expedição explorou o Rio Tapajós, indo ate o atual estado do Matogrosso  (que foi dividido em dois posteriormente ).

imagem bucólica nas casas de cavaco da atual Hugo de Mendonça
 Embora a gama de informações, quantidade expressiva de documentos pesquisados nos conceda um vasto espaço para enriquecimento da pesquisa, o mais próximo registra a data de 1812 e retrata a viagem de João de Castro feita por Miguel João de Castro, de cachoeiras acima ate Matogrosso, onde o nome Itaituba já é citado.
 
Itaituba também recebeu a visita do presidente João Batista figuereido.
 O documento (referência para os pesquisadores de todas as épocas), registra que naquela época , Itaituba era o centro de exploração e comercio de especiarias do rio tapajós.

 Esse mesmo documento destaca que em Itaituba viviam os índios Mundurucus que foram voluntários comandados pelos Jesuítas em 1635. 
 
Tibiriça era o comandante, como se fosse uma patrulha militar de hoje
 Um destacamento menor de voluntários comandados pelo tenente coronel Joaquim Caetano Correia , instalou-se a margem esquerda do Rio Tapajós, fundando a localidade hoje conhecida como Brasília legal.
 
supermercado mais famoso da época
 No ano seguinte outro pequeno destacamento foi enviado para Itaituba, também sob as ordens de Joaquim Caetano Correa, que historicamente é considerado o fundador da cidade. Amistoso com os índios Mundurucus da região, em 1636, Pedro Teixeira voltou com nova expedição, explorou o rio Tapajós e verificou que entre outras coisas, além de sua beleza havia uma franca navegabilidade por uma grande extensão pela lei nº 648 de 22 de março de 1900, Itaituba passou a ser cidade, fato concretizado em 15 de novembro de 1901.

 CARACTERÍSTICA RIBEIRINHA OU BEIRADÃO.
 
o globo no  ar ainda resiste as intempéries do tempo
 A cidade de Itaituba e sua sede respectivamente começaram como todos os povoados típicos da Amazônia, com características de “aglomerado” na margem do rio tapajós aglomerado que gerou o sentido de beiradão, ou ribeirinhos... esse tipo de ocupação não ocorria aleatoriamente ou só por princípios culturais, mas em função do que era o rio na época, sendo a única alternativa como meio de acesso a região. 
temos um dos rios mais belos do mundo,o Tapajós(foto Nazareno Santos)

busto de Joaquim Caetano, fundador de Itaituba
E conseqüentemente o rio oferecia alimento, água abundante (de boa qualidade, ainda sem problemas com garimpos), condições apropriadas para a pratica da agricultura, principalmente a da mandioca para a fabricação de farinha e outros produtos regionais. Mas em que pese a vasta riqueza histórica do tapajós ao longo dos anos a fundação do povoado de Itaituba coincide com a conquista do tapajós, da grande importância em todos os episódios comuns a outros aglomerados. 

 Em primeira instância, utilizado como marco de uma conquista e bandeira de ocupação de um território. 
 
antiga Sonda Bar, hoje destruída pela indiferença dos governantes
Na pós-consolidação da ocupação e pela sua bem situada localização geográfica, antes da faixa encachoeirada do rio tapajós, tornou-se um grande entreposto comercial, comerciantes tinham papel relevante no comércio da borracha, com expressiva produção financiada e repassada não apenas para a região do Tapajós, mas para toda a Amazônia. 
o tráfego de aeronaves era tão intenso que uma pousou sobre a  outra

 Passado o “boom”, pós-época da borracha, a região entrou num declínio econômico, só superado com a descoberta de ouro, no rio das tropas no final da década de 50, precisamente em 1958, causando assim uma onda migratória desordenada, que redundou num ”inchaço populacional, colocando durante muitos anos Itaituba no ranking de maior densidade demográfica do Pará. Oficialmente Itaituba foi criada em 15 de Dezembro de 1856 
 
Nossa padroeira Nossa senhora Sant'Ana
Obs:  esse histórico consta do meu Livro Tapajós, Histórias versus estórias e outras Moagens, cujos exemplares ainda disponho para venda.

Obs:  O livro com 150 páginas custa R$40,00. Interessados enviar informações para o e-meio-  nazarenopoeta@hotmail. com ou ligar para (93) 991552515, Despacho via correio para qualquer parte do estado ou pais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário