terça-feira, 20 de outubro de 2015

PREFEITA QUE TRANSFORMAR BRASÃO EM LOGOMARCA DE GOVERNO. CÂMARA COBRA EXPLICAÇÕES.

Peninha critica ação autoritária da prefeita

Brasão de armas ou, simplesmente, brasão, na tradição europeia medieval, é um desenho especificamente criado - obedecendo às leis da heráldica - com a finalidade de identificar indivíduos, famílias, clãs, corporações, cidades, regiões e nações. O desenho de um brasão é normalmente colocado num suporte em forma de escudo que representa a arma de defesa homónima usada pelos guerreiros medievais. 

No entanto, o desenho pode ser representado sobre outros suportes, como bandeiras, vestuário, elementos arquitetônicos, mobiliário, objectos pessoais, etc.. Era comum, sobretudo nos séculos XIV e XV, os brasões serem pintados ou cosidos sobre as cotas de malha, o vestuário de proteção usado pelos homens de armas. Por isso, os brasões também são, ocasionalmente,
Isaac considerou ridiculo o gesto da prefeita em mudar o brasão oficial
designados por cotas de armas. 

Em sentido restrito, o termo brasão refere-se apenas à descrição do desenho inserido no escudo de armas.  No entanto, em sentido lato, pode designar-se por brasão a descrição do conjunto das armas, incluindo, além do escudo, os elementos exteriores (coronel, timbre, virol, paquifes, etc.)

 Por extensão, o termo brasão, passou a aplicar-se não só à descrição, mas, também ao próprio objecto descrito: o escudo ou o conjunto armorial completo.

 Essa é uma definição técnica sobre o brasão, que em Itaituba vem sendo objeto de polêmicas e protestos. Como a emenda saiu pior do que o soneto o departamento de Marketing do governo de todos confundindo o brasão com uma logomarca promoveu sem autorização legal da Câmara uma alteração que vem se transformando em piada nas redes sociais. 

A prefeita folclórica que vem transformando Itaituba numa espécie de Sucupira do saudoso Odorico Paraguassu     saudoso cometeu dois erros considerados graves, um por não poder mudar o brasão e o outro por não ter pedido permissão da Câmara.  

Alguns a estão rotulando de brasão da perereca, outros comparam com um muiraquitã, outros rebatizaram de sapão.  Mas gozação a parte na sessão desta terça feira dia 20 assunto que predominou na tribuna foi esse. O vereador de oposição Luiz Fernando Sadeck- Peninha teceu criticas severas já que a prefeitura segundo ele não deveria ter alterado o formato do brasão já que se trata de um símbolo oficial e não uma logomarca.

 Isaac Dias disse que o que o governo de todos fez foi um ato ridículo e que vem servindo de gozações e piadas.  O médico e vereador Dr. Diniz colocou num telão imagens do brasão original e do que foi adaptado pela prefeita, inclusive com a imagem de um sapo do lado.  Nem mesmo o líder de governo se manifestou sobre o caso que agora vem estigmatizando Eliene Nunes como à prefeita Batraquiana.

 Os vereadores querem que o executivo volte a utilizar o brasão original.   Por outro lado mesmo existindo uma lei o executivo a ignora solenemente como vem ocorrendo em mais de uma dezena de outras situações ocorridas este ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário