sábado, 12 de setembro de 2015

JOELMA PEDE MEDIDA PROTETIVA PARA MANTER CHIMBINHA AFASTADO .



As advogadas da cantora Joelma - Patrícia Bahia e Magda Hosn - afirmaram ontem que a Justiça do Pará determinou que o guitarrista Chimbinha, ex-marido de cantora, não poderá se aproximar dela. 

A decisão prolatada pela juíza Caroline Slongo Assad (respondendo pela 4ª Vara de Violência Doméstica de Ananindeua) tem como base a Lei Maria da Penha, que prevê medidas de proteção para mulheres em situação de risco.   O processo corre em segredo de Justiça, por se tratar de um caso que envolve conflito familiar. As informações são do G1.



Na quarta-feira, 9, Joelma registrou boletim de ocorrência na delegacia do bairro Jaderlândia, em Ananindeua, alegando que se sentia ameaçada pelo ex-marido. O caso foi encaminhado para a Divisão Especializada em Atendimento à Mulher da Polícia Civil, que solicitou as medidas de proteção para a cantora. 

Caso Chimbinha não respeite a decisão judicial, poderá ser punido de acordo com a Lei Maria da Penha. “O descumprimento pode acarretar desde aplicação de multa até prisão preventiva, de acordo com avaliação do juiz e a gravidade do caso”, disse a delegada Daniela Santos.



Segundo Patrícia, as medidas protetivas já estão em vigor. “Já foram deferidas as medidas protetivas. Foi determinado que ele não pode se aproximar dela em situação alguma, incluindo shows e gravações, e deve manter distância de 100 metros. A agenda dela vai ser mantida com o novo guitarrista”, afirma.



De acordo com o advogado do guitarrista, Hermínio Faria Neto, a defesa de Chimbinha ainda não foi notificada, mas a decisão não muda a situação do casal, já que ele não está forçando um relacionamento com a ex-mulher. “A medida protetiva é feita unilateralmente. O que ocorre é que esta decisão não tem conteúdo, pois eles não estão morando juntos, nem tocando juntos. Não há ofensa.

 Entendemos que a Joelma tenta revidar o fato do Chimbinha ter feito uma ocorrência primeiro, que recaiu sobre uma amiga dela”, disse o advogado. No dia 20 de agosto o guitarrista Chimbinha registrou uma ocorrência na Divisão de Investigação e Operações Especiais (DIOE) da Polícia Civil do Pará, alegando que recebia mensagens de celular que atentavam contra a sua honra.



De acordo com o delegado Neivaldo Silva, o telefone de onde as mensagens se originaram já foi identificado, mas a proprietária da linha negou a autoria das mensagens. Segundo a polícia, o próximo passo desta investigação é o guitarrista depor para dar prosseguimento ao processo.



Para o advogado Luciel Caxiado, que também representa Chimbinha, a medida protetiva foi “desnecessária” e que poderá incorrer em prejuízos financeiros ao cliente, que é sócio da banda Calypso. Também reforçou que o guitarrista não é agressivo e tampouco ameaçou Joelma, alegando que houve uma frase “mal-interpretada”.

 Também criticou a cantora pelos vários registros de quando aponta para Chimbinha na música “A Lua me Traiu”, que, segundo ele, conclamou os fãs a hostilizarem o guitarrista.   “Quando Chimbinha disse que era para ela parar porque podia terminar em morte, foi que ele estava sendo ameaçado e não que foi uma ameaça contra ela.  Inclusive, no último show no Distrito Federal, ele teve de sair escoltado por seguranças porque queriam agredi-lo. Vamos recorrer”, disse Caxiado.



 O Liberal Digital!

Nenhum comentário:

Postar um comentário