sábado, 1 de novembro de 2014

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014 serão aplicadas em todo o Brasil nos dias 8

A pouco mais de uma semana para a aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014, em todo o país, vale lembrar que, além de possibilitar o ingresso em instituições de ensino superior públicas ou privadas, a pontuação final obtida no exame pode ser utilizada também como critério de seleção em programas do governo federal como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), o Programa de Financiamento Estudantil (Fies) e o Ciência Sem Fronteiras.

 Muitos estudantes deixam de ser beneficiados com essas possibilidades por não obterem informações suficientes a respeito de como cada um funciona. O aluno que preferir ingressar em uma universidade pública pode utilizar a média do Enem tanto para o vestibular tradicional quanto para o Sisu. Os estudantes mais bem classificados no Enem podem optar por concorrer a uma vaga do Sisu nas instituições de ensino superior públicas.

 Já nas universidades privadas, aquele que optar ingressar com o Fies precisará ter feito o Enem, assim como, para conseguir uma bolsa estudos parcial ou integral do ProUni. As instituições públicas, privadas e de educação tecnológica também ofertam vagas gratuitas por meio do Sisutec. Neste caso, o aluno também precisa ter alcançado uma média para ser classificado no exame. 

Além disso, os estudantes que participarem do Enem deste ano podem ser beneficiados pela lei de cotas que reserva 50% das vagas para ex-alunos das escolas públicas. Já os estudantes que sonham em estudar fora do país, com bolsas concedidas por meio do programa de intercâmbio Ciência Sem Fronteiras, também precisam fazer o Enem, obrigatoriamente, para serem selecionados.

 Apesar de ter conhecimento sobre as oportunidades vantajosas de alguns dos programas oferecidos pelo governo federal, a meta da estudante Tatiely Santos Chaves, 18, é ingressar na Universidade Federal do Pará. Mas, para isso, ela tem consciência de que precisa se esmerar para conseguir uma boa pontuação no Enem. “Fiz a prova do Enem do ano passado apenas para testar meus conhecimentos. Estava no segundo ano do médio e acabei não alcançando a nota para ser classificada. Este ano, meu ritmo de estudos está intenso, porém é complicado, pois estou estudando tanto para concluir o ensino médio quanto para a prova do Enem. Procuro estudar pelo menos um pouco em casa, todos os dias, revisando o que vejo em sala de aula”, ressalta. MEDICINA Tatiely conta que gostaria de cursar medicina, mas, diante da dificuldade de conciliar os estudos do convênio e para o Enem, acredita que deve optar por outro curso. “Tenho feito pesquisas sobre vários cursos disponíveis, mas ainda não sei qual farei. De fato, há muita concorrência, mas o Enem facilitou a vida do estudante devido a abordagem diferente do vestibular normal. Até quarta-feira (antes da prova) vou focar bastante na redação.

 Depois vou relaxar, para poder estar com o psicológico preparado para a prova”, garante a jovem. Saiba mais sobre Programas para os estudantes Sistema de Seleção Unificada (Sisu) É gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Enem. O processo seletivo ocorre duas vezes ao ano, sempre no início do semestre letivo. A inscrição é gratuita e é realizada em uma única etapa via internet. O sistema de seleção é simples: universidades públicas que optam por participar do programa ofertam um número de vagas em seus cursos. Ao final do período de inscrições, são selecionados os candidatos mais bem classificados. 

 Programa Universidade para Todos (ProUni) O programa concede bolsas de estudo integrais e parciais de 50% em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. 

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve ter renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. Para as bolsas parciais de 50%, a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. Entre os requisitos, é preciso ter cursado ensino médio completo em escola da rede pública ou na condição de bolsista integral em escolas privadas.

 Já em relação ao processo seletivo regular, pode se inscrever o candidato que tenha feito o Enem do ano imediatamente anterior e que tenha obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas das provas do Exame e nota acima de zero na redação. Programa de Financiamento Estudantil (Fies) É destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições privadas.

 Podem recorrer ao financiamento estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. 

A partir de 2010, o programa passou a funcionar em um novo formato e os juros de financiamento caíram para 3,4% ao ano. Além disso, passou a ser permitido ao estudante solicitar o financiamento em qualquer período do ano. É necessário que os estudantes que concluíram o ensino médio a partir do ano letivo de 2010 tenham feito o Enem de 2010 ou ano posterior. 

Sisutec Também gerenciado pelo MEC, é o sistema pelo qual as instituições públicas e privadas do ensino superior e da educação profissional e tecnológica oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos para candidatos que participarem do Enem. O processo seletivo é realizado duas vezes ao ano, sempre no início do semestre letivo. A inscrição é gratuita, em uma única etapa e é feita pela internet. Ciência Sem Fronteiras Promove a internacionalização da ciência e tecnologia, por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para o intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior. A finalidade é manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Para participar, é preciso estar matriculado em curso de nível superior nas áreas e temas contemplados pelo programa. Além disso, é necessário ainda que o candidato tenha obtido nota no Enem igual ou superior a 600 pontos, em exames realizados a partir de 2009, dentre outros critérios. Enem 2014 As provas serão aplicadas em todo o país nos dias 8 e 9 de novembro. O cartão de confirmação da inscrição é enviado pelos Correios, para o endereço informado pelo participante no ato da inscrição. No cartão, estão contidas as seguintes informações: número da inscrição; data, hora e local onde serão realizadas as provas; indicação do atendimento especializado e/ou do atendimento específico (se for o caso); opção de língua estrangeira; solicitação de certificação do ensino médio (se for o caso). O participante pode consultar e imprimir o cartão de confirmação de inscrição na página do Inep, informando CPF e senha. Caso tenha esquecido a senha, a recuperação será feita no endereço eletrônico http://sistemasenem2.inep.gov. br/localdeprova. O participante receberá nova senha por e-mail ou SMS no celular, ambos informados no ato da inscrição. Caso não tenha informado ou tenha mudado o celular ou o e-mail, o participante deve selecionar a opção “Esqueci minha senha” digitar os dados solicitados e em seguida selecionar “Alterar Dados Cadastrais”, tendo em mãos os dados fornecidos no ato da inscrição: CPF, data de nascimento, CEP e cidade escolhida para a prova. 

SERVIÇO Fique atento Os portões de acesso aos locais de prova serão abertos às 12h e fechados às 13h (horário oficial de Brasília). As provas O Enem é composto por quatro provas objetivas, com 45 questões de múltipla escolha cada, e uma redação. Dia 8/11/2014: Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Tempo para a prova: 4h30 Dia 9/11/2014: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias. Tempo para a prova: 5h30 O que levar no dia Cada participante deve ter em mãos caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente. 

Ela é obrigatória para o exame. O uso de outra cor impossibilita a leitura ótica do cartão-resposta. Documento de identificação original com foto, cartão de confirmação da inscrição e alimentos. (Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário