sábado, 27 de setembro de 2014

inventor da lâmpada que dura 100 anos é ameaçado de morte

Você já parou para pensar que antigamente as coisas duravam mais tempo do que hoje em dia? A sociedade moderna nos impõe o consumo de novos produtos, como se tudo fosse descartável e dispensável com o tempo. Pois existem pessoas engajadas em colocar um freio na perecividade das coisas, como o espanhol Benito Muros. 

Em 1999, Benito visitou o quartel de bombeiros de Livermore, na Califórnia, e conheceu uma lâmpada que está acesa há 112 anos no local. A partir daí pensou: “Se em 1901 foi produzida uma lâmpada que dura mais de cem anos, por que não agora?”. Mas nem tudo é tão simples quanto parece. 

Benito bateu de frente com um empecilho maior que o próprio desafio de criar uma lâmpada com 100 anos de durabilidade, a obsolescência programada. Ou seja, as lâmpadas no século XXI, e uma infinidade de outros produtos, não duram e não interessa que durem – simplesmente para que o consumidor precise comprar mais, girando assim a economia de consumo.

 Isso mesmo, você é indiretamente condicionado ao consumo, para que o sistema continue funcionando, pois com produtos de grande durabilidade, o lucro é menor. Benito bateu de frente com a indústria e desenvolveu uma lâmpada que dura 100 anos! Não a toa, Benito afirma ter sido ameaçado de morte devido sua invenção. 

Por isso, ele criou um movimento chamado Sem Obsolescência Programada (SOP), que defende não só o caso das lâmpadas, mas o de muitos outros objetos do cotidiano que poderiam durar muito mais. Segundo ele, algumas peças essenciais para eletrodomésticos, por exemplo, são colocadas propositalmente próximas das partes que mais aquecem no objeto, diminuindo seu tempo de vida.

 Soma-se a isso, o uso de materiais de menor qualidade. Já foram oferecidos 30 milhões de euros para que Muros tirasse sua lâmpada do mercado, que tem garantia de 25 anos, ou 219 mil horas de funcionamento contínuo, quebrando com o pacto velado da obsolescência programada. Benito mantém sua posição. Firme e forte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário