quarta-feira, 6 de agosto de 2014

GESTÃO ELIENE NUNES: CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DENUNCIA SUPERFATURAMENTOS E REPROVA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2013.

Conselheiro:"Fizemos nosso papel,agora espero que a justiça faça sua parte"
Como tem um ditado popular que diz ”Quem cala consente” o parecer da Comissão de acompanhamento da gestão orçamentária, financeira e contábil, do Conselho Municipal de Saúde, coloca em xeque um governo que se diz de todos e prega aos quatro ventos transparência na gestão da coisa pública.

 Ocorre que o governo municipal não se manifestou ainda sobre se é verdadeira ou falsa a análise do Conselho, haja vista a gravidade das denuncias apresentadas.

 Tanto que a Secretaria de saúde não assinou o documento do Conselho somente aceitando assinar quando do seu encaminhamento ao Ministério Público. O Conselho Municipal de Saúde deu parecer contrário da prestação de conta anual referente ao exercício de 2013 da Secretaria Municipal de Saúde.

 A reprovação das contas está amparada em consubstancial análise técnica dos resultados do acompanhamento das contas que foram apresentadas ao Conselho pela Secretaria municipal de Saúde, no que concerne aos relatórios trimestrais e também da gestão anual. A comissão do Conselho entre as varias denuncias consideradas graves e que deveriam ser apuradas, detectou fortes indícios de superfaturamento ( Diga de passagem que se tratou de um parecer eminentemente técnico) dos seguintes itens que foram adquiridos pela prefeitura a Secretaria Municipal de Saúde:

 Compra de um microcomputador 500G. Processador Core 2, pelo valor de R$3.470,00. A suspeita é pelo fato da nota fiscal NF. 001.041 não ter especificado a marca o que não garante se o preço é compatível com a qualidade do produto. A Comissão levantou também no processo da compra de material de manutenção dos veículos  (Nota fiscal 048) assinadas pelo empresário Hélio de Andrade que vendeu bomba de alta pressão pelo valor de R$5.800,00 unidade, óleo de freio de junta por R$ 109,00 a, junta homocinética para caminhonete Ranger custando R1.120,00 e junta de cabeçote elo valor de R$56,00 produtos esses que estariam bem acima do que vem praticando no comércio local.

A Comissão também relatou nas denuncias que subsidiam a reprovação das contas, a aquisição de um HP externo de 1GB feito junto a empresa Reciclone no valor de R$540,00 e também papel a 4 10 resma com 500 folhas no valor de R$ 130,00. Mas além dessas análises consideradas discrepantes pela Comissão o parecer levou em conta também omissão de informações quando a Secretaria de Saúde não deixou claras informações sobre execução orçamentária e financeiras de recursos próprios, recursos próprios rendimentos e aplicações financeiras, recursos transferência do SUS (Estado e União).

Outros pontos considerados obscuros e que ensejara a reprovação foi quanto à gestão de pessoas e contratos administrativos quanto à substituição do profissional afastado por licença maternidade, licenças acima de 6 meses ou quando da exoneração de servidor efetivo até nova nomeação. 

Após a devida analise técnico que reprovou a aprovação caberá agora a  Câmara de vereadores e ao ministério Público apurar as denuncias e punir se for o caso os responsáveis pela lambança que estaria sendo feito com verbas públicas.  Assinam pelo Conselho o presidente Felipe Gomes dos Santos, Raileuma Dias Paz Lira(Relatora), Josaias Lima de Oliveira (Membro) e Cleocir Portela de Aguiar como membro

Nenhum comentário:

Postar um comentário