sexta-feira, 26 de julho de 2013

Juiz marcado para morrer

Fazendeiro descontente com sentença é acusado de ameaçar o magistrado. segup acompanha o caso. O juiz titular da Segunda Vara Federal do Trabalho de Marabá, Jonatas dos Santos Andrade, está ameaçado de morte. Ontem, José Barroso Filho, representante da Associação Brasileira de Magistrados, chegou ao município do sudeste paraense para acompanhar as investigações sobre as ameaças. As informações são do G1 Pará.

 "A associação vem aqui prestar apoio ao doutor Jonatas e junto aos órgãos de segurança do Estado cobrar ações efetivas para que essas ações delitivas sejam monitoradas e seus responsáveis sejam severamente punidos", disse José Barroso Filho. 

 O juiz Jonatas dos Santos Andrade afirma que as ameaças começaram há aproximadamente um mês e partiram de um fazendeiro da região que foi sentenciado por ele com a penhora de 18 veículos e cerca de 900 cabeças de gado em uma ação trabalhista. O fazendeiro acusado de ameaçar o juiz é Décio José Barroso Nunes, conhecido como "Delsão". Ele foi procurado, mas não retornou os contatos feitos pela reportagem. 

 O Tribunal Regional do Trabalho de Marabá já comunicou o caso à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Serviço de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup). Em nota oficial, o tribunal também informou que deslocou integrantes do grupo especial de segurança para proteger o juiz e parentes dele. "É o próprio estado brasileiro que vai prestar essa resposta ao doutor Jonatas e a todo e qualquer juiz que cumpra o seu dever.

 A gente não admite esse tipo de prática porque ao final das contas nós estamos preservando o cidadão e o estado democrático de direito", afirmou José Barroso Filho. A Associação de Magistrados da Justiça do Trabalho do Pará informou que está dando todo o apoio institucional ao juiz ameaçado. 

A Segup afirmou que o caso está sendo monitorado. Prêmio - No ano passado, o juiz Jonatas Andrade foi vencedor do Prêmio Nacional de Direitos Humanos, concedido pela presidência da República devido à trajetória dele no combate ao trabalho escravo.

Amazônia Jornal

Nenhum comentário:

Postar um comentário