segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

PARENTES DE PRESOS DENUNCIAM POLICIAIS MILITARES POR CRIME DE TORTURA. OAB ENTROU NO CASO.

Mais um escândalo poderá vir à tona envolvendo Policiais Militares em Itaituba. desta feita foram as denuncias feitas por mulheres de detentos, que segundo elas teriam sido “Torturados” dentro da cadeia pública por policiais do Comando Tático Operacional,  dia 22 deste mês.  

A presidente da OAB Subseção local advogada Cristina Bueno após receber as denuncias esteve in loco verificando o problema e a imprensa disse que realmente pode detectar que tem fundamento as denuncias, mas que os fatos ainda estão sendo apurados. De imediato a presidente da OAB esteve na Câmara de vereadores, na manhã desta segunda feira dia 25, onde pediu apoio aos vereadores para que seja aberta uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar todas as denuncias.

Presidente da OAB endossa as denuncias de parentes de presos.
"quebraram até clavicula do meu marido" desabafa esposa de um preso
 Com a presidente da OAB esteve também o presidente da Comissão dos direitos Humanos da OPAB, o advogado Paulo Correia que disse que a ação foi na verdade de bandidos e não de Policiais já que considerou tal ato altamente danoso aos direitos humanos e que esconderam o rosto no momento da ação A presidente da OAB disse que teve dificuldades de entrar na cadeia pública.

 Mas no seu interior pode conversar com vários presos e pode observar que os PMS teriam promovido tortura coletiva já que obteve informações da auxiliar de enfermagem da cadeia pública que mais de 80 deles teriam necessitado de ajuda, sendo que dois deles em situação mais grave foram levados ao Hospital municipal..

Presidente da Comissão de Direitos humanos da OAB, Paulo Correa.
Cristina Bueno disse que ouviu do diretor da cadeia pública a informação de que os PMS teriam entrado sem sua ordem e promovido a sessão de espancamentos contra os presos, Em face do que considera de extrema gravidade a presidente da OAB também enviou documento a justiça local pedindo a abertura de sindicância, por se tratar de um verdadeiro crime coletivo pelo número elevado de preso que teriam sido torturados. Élida de Cássia, chorando denunciou ao Impacto que seu irmão Euller Henrique preso por trafico de drogas também teria sido espancado. 
Esposas dos detentos procuraram  a impresna para denunciar torturas na cadeia pública

A esposa de um outro detento disse que seu marido teve a costela e clavícula quebradas, além de ter sido torturado com spray de pimenta nos olhos.  Ela disse que após a sessão de torturas para que os presos não fossem vistos em estado de espancamento, as visitas dos parentes foram suspensas de imediato.  Indagada sobres se as denuncias de torturas teriam alguma relação com a fuga de setes presos, a presidente da OAB disse que não, porque não haveria justificativa para o espancamento coletivo de mais de 80 presos do total de duzentos que estavam no interior do pavilhão.
Éllida de Cássia Salome Dantas disse que seu irmão também, foi torturado pelos PMS...

 O relato do drama de mais de meia dúzia de esposas de detentos foram semelhantes. Alguns teriam inclusive sido colocados em “isolamento”. Os familiares dos presos alegam que além dessas torturas eles já vem há muito tempo sofrendo dentro da cadeia principalmente sem assistência médica, quando adoecem. A reportagem do Impacto esteve no comando do CPRX para ouvir a versão dos acusados, mas o comando disse que ainda vai abri Inquérito Policial militar e que no momento ainda não pode se manifestar sobre as denuncias que serão segundo ele rigorosamente apuradas 

Texto e Fotos- Do jornalista Nazareno Santos

2 comentários:

  1. Um dia vc vai ser assaltado por um desses presos e concerteza vai precisar da policia seu verme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi o que esse mentecapto quis dizer.Os fatos existiram,relatei da forma como foi repassado.Quem vai julgar os fatos é a justiça, a OAB...Faltou interpretação da noticia...

      Excluir