domingo, 13 de janeiro de 2013

Português é o mais novo 'bicho-papão'

Vestibular Na UFPA.

  16,4 mil vestibulandos tiram zero na disciplina. Em Física, foram 19,1 mil. FERNANDA MARTINS Da Redação As disciplinas de Física, Matemática e Química sempre foram encaradas como os "bichos-papões" dos vestibulares. O número expressivo de zeros obtido por candidatos na prova do vestibular 2013 da Universidade Federal do Pará (UFPA) confirma essa tendência e traz uma surpresa: Língua Portuguesa figurou em segundo lugar na quantidade de zeros, com 16.475 vestibulandos que obtiveram a nota.

 O primeiro lugar ficou com Física, com 19.167 "zerados". Estudantes comentam suas dificuldades e preferências, enquanto professores das disciplinas justificam a "antipatia" e dão dicas para superar, e até se interessar, pelas matérias. Não é de hoje que as matérias da área das ciências exatas sofrem certa rejeição por parte de muitos estudantes. Às vezes, a antipatia vem de longe. "Eu não me lembro de ter gostado ou tentado gostar algum dia de Matemática.

 Daí, as outras matérias que usam a matemática acabam caindo no mesmo cesto", explica a estudante do ensino médio Joana Costa, de 18 anos. Ela tentou vestibular este ano, mas não conseguiu pontuação suficiente para passar, em parte por causa de Física e Matemática. O estudante Wesley Lins, de 19 anos, compartilha da dificuldade nestas disciplinas. Ele tenta, frequentemente, dar uma chance às matérias, porém, sem sucesso. 

"Enquanto eu estudava, eu tirava algum tempo só pra estas disciplinas, mas parece que a coisa embaraçava na minha cabeça logo depois de estudar", relembra. Wesley também tentou vestibular e não passou. Para ele, a falta de afinidade com as ciências exatas veio da dificuldade em aprender nas escolas públicas. "O ensino é ruim, o aluno se estressa e não dá muita atenção", justifica. Entretanto, nem todos os estudantes sentem essa dificuldade. O universitário Luiz Antunes Júnior, de 30 anos, apaixonou-se pela Física desde os primeiros contatos. "Não entendo como alguém pode não gostar de Física, pois ela está presente em tudo que fazemos. Acho uma matéria fascinante", diz. Ele, que está concluindo o curso de Engenharia Mecânica, acredita que esse "preconceito" em torno das disciplinas das ciências exatas vem da falta de compreensão das matérias. 

REJEIÇÃO Os professores destas matérias não as veem como "odiadas", e sim como mal interpretadas pela falta de base. "O aluno chega ao ensino médio e já apresenta deficiências. Percebemos que falta o conhecimento das operações matemáticas básicas, não existe o hábito da leitura e, por consequência, a interpretação de texto é comprometida", observa o professor de Física Eder Guimarães. Até mesmo o entendimento da dimensão representada por siglas de unidades de medição, como Gb, Kg ou Km/h, passam longe de alguns estudantes.

 O Liberal Digital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário