sábado, 7 de julho de 2012

MUNDURUKUS CESSAM CONFLITOS APÓS RODADA DE NEGOCIAÇÕES COM SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA EM JACAREACANGA.

India cobrando cumprimento da palavra do estado

Depois de muita tensão, prédio incendiado num episódio de ampla repercussão na mídia, chegou ao seu final à novela entre os Mundurucus e Estado, que clamavam por justiça contra os matadores do índio Léo Akay. 

 O conflito chegou a um bom termo com a presença de Luiz Fernandes Rocha, Secretário de Estado de Segurança Publica e Defesa Social, que se deslocou a Jacareacanga para entabular negociações onde permaneceu por várias horas e ouviu atentamente todas as exigências dos indigenas.

Secretário ouvindo atentamente uma das lideranças  Munrukus

 O Secretário foi bem recebido na Praça Cristina Ribeiro onde foi recepcionado por mais de 300 guerreiros. 

 Em meio aos adultos,   crianças ostentavam cartazes com palavras de ordem fazendo reivindicações ao governo do Estado, com ênfase para Segurança Pública onde foi cobrada justiça pelo assassinato do Leo Akai, que tinha 32 anos e foi seviciado com 21 facadas.

Cartazes com reivindicações ao Secretario de Estado
Secretário sendo conduzido por um Curumim e um Cacique Munduruku
Assasinos de Léo Akai não ficarão  impune
Mundurukus são guerreiros temidos e mereceram respeito do estado

Os indígenas denunciaram que a policia estaria agindo com descaso nesse e em outros episódios de violência em Jacareacanga onde estaria deixando propositalmente alguns presos livres para que possam comercializar drogas na cidade.

 Os Mundurukus aproveitando a ida do secretario de segurança pública entregaram uma carta aberta contendo 15 reivindicações elaboradas pelos Coordenadores do Movimento , entre elas a principal cobrando uma resposta imediata sobre o assassinato de Léo Akai para que os acusados sejam julgados no Fórum de Jacareacanga e não em Itaituba. 

Guerra ou Paz?.Mundurukus cobram seus direitos...

 A carta aberta elenca ainda a construção de uma delegacia de policia Civil para coibir a pratica dos criminosos e a entrada de proliferação de drogas na cidade, tendo em vista que os traficantes estão fechando o cerco em torno das comunidades indígenas para envolvê-las com o tráfico. 

 Luiz Fernandes em entrevista se comprometeu em levar a reivindicações in loco dos Mundurucus ao Gov.Simão Jatene com promessas de tomar ações imediatas, estipulando inclusive como 15 dias o prazo para que seja iniciada a construção do Prédio da delegacia da policia Civil. Ao Secretário os Caciques que estiveram à frente das negociações deixaram claro que se as 15 exigências feitas ao estado não forem cumpridas eles retornarão a novos protestos e desta vez com muito mais rigor.

 Na avaliação do Secretário os índios agiram nesses dias, na verdade como um exemplo de cidadania de forma participativa exigindo seus direitos, no que concerne a segurança embora tenha em alguns momentos extrapoladas quando por exemplo ateara\m fogo no prédio do destacamento.

 Sobre a situação dos reféns Procurador Sostenes(Funai)  e Ednaldo Silva, delegado Regional da policia Civil, o Secretário afirmou que em nenhum momentos eles correram riscos de agressões físicas e que não se consideravam reféns, mas sim que precisavam ficar na cidade até que o problema fosse resolvido. Sendo assim a força tarefa formada de última hora não precisou intervir já que houve consenso através do diálogo e compromissos firmados entre os Mundurucus e o estado representado na pessoa do Secretário de Segurança Pública. 

Fotos: Nonato Silva/Jacareacanga

Nenhum comentário:

Postar um comentário